Cotidiano

Todos os campi

UFV conquista patente para produção de medicamentos para cavalos 

03/12/2020

.

A UFV é detentora de mais uma patente, desta vez de composições farmacêuticas para prevenção e controle de herpevírus equino (EHV-1). Esta é a 45ª patente obtida pela UFV.

Do depósito junto ao Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) à carta patente passaram-se dez anos. O registro foi feito em novembro de 2010 e a carta patente, nomeando a UFV como proprietária da invenção, só foi concedida no dia 3 de março deste ano. A invenção é resultado de uma parceria entre pesquisadores dos departamentos de Bioquímica e Biologia Molecular (DBB) e de Medicina Veterinária (DVT). O trabalho foi realizado durante o mestrado do então estudante Humberto Doriguetto (2006 a 2008) e contou com a orientação da professora Márcia Rogéria de Almeida Lamêgo e coorientação dos professores Marisa Alves Nogueira Diaz, Juliana Lopes Rangel Fietto, Abelardo Silva Junior e Tânia Toledo.

A tecnologia patenteada é um processo para obtenção de composições farmacêuticas à base de extratos de Baccharis dracunculifolia (alecrim do campo) para preparação de agentes terapêuticos para controle e tratamento da doença que gera prejuízos consideráveis aos criadores de cavalos do país. Com a obtenção da patente, o próximo passo será buscar parceiros interessados em utilizar comercialmente a tecnologia para formulação de medicamentos para o tratamento de animais infectados pelo vírus. Com este documento, a UFV também pode impedir o uso, produção, venda e importação do produto obtido diretamente do processo patenteado. A validade do direito sobre a patente é de 20 anos, contados a partir da data de depósito do protocolo do pedido. Depois desse prazo, a invenção torna-se de domínio público.

Todo o processo de pedido dessa patente, junto ao Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) contou com o suporte da Comissão Permanente de Propriedade Intelectual (CPPI) da UFV.

 

Divulgação Institucional - campus Viçosa