Institucional

Campus Viçosa

Pós-Graduação em Fitopatologia tem primeira tese defendida com dupla diplomação

26/06/2020

Para Franklin, a experiência foi desafiadora e proveitosa

O Programa de Pós-Graduação em Fitopatologia teve a primeira tese defendida em regime de cotutela com a University of Kentucky (UK), dos Estados Unidos. A defesa aconteceu no último dia 22 e foi protagonizada pelo estudante Franklin Jackson Machado, o primeiro a obter diploma de doutor das duas universidades, que firmaram convênio em 2016.

Com graduação em Agronomia e mestrado em Fitopatologia, ambos na UFV, Franklin iniciou o doutorado em março de 2016, no Laboratório de Epidemiologia, sob a orientação do professor Emerson Del Ponte. De janeiro de 2018 a setembro de 2019, completou os créditos em disciplinas e conduziu parte de sua pesquisa na UK, orientado pela professora Lisa Vaillancourt. 

Durante o doutorado, Franklin realizou estudos inéditos na área de epidemiologia de podridões da espiga e do colmo de milho, causadas por espécies do gênero Fusarium, que produzem micotoxinas capazes de provocar distúrbios em seres humanos e animais. O estudo dessas doenças é de grande relevância para o Brasil e os Estados Unidos, uma vez que elas afetam a produção da cultura do milho, reduzindo não apenas a produtividade, mas também a qualidade dos grãos.

A pesquisa conduzida por Franklin resultou em uma tese de quatro capítulos: dois em condições de campo no Brasil e dois em condições controladas nos Estados Unidos, incluindo um estudo avançado na área de genômica. Os recursos para a pesquisa foram obtidos por meio de bolsas de estudos no âmbito do Programa de Doutorado-Sanduíche no Exterior (PDSE), com complementação pela universidade norte-americana. Durante o período em que esteve na UK, Franklin também teve a oportunidade de apresentar estudos em eventos científicos da área e ministrar aulas para alunos de graduação daquela universidade.

O ex-estudante da UFV define sua experiência como “indescritível, desafiadora, mas igualmente proveitosa”. Segundo ele, o programa de dupla diplomação possibilitou que conhecesse e interagisse com muitas pessoas especiais no Brasil e nos Estados Unidos e que desenvolvesse pesquisas e aprendesse técnicas de ponta em ambos os países. “Sou muito grato aos professores, em especial aos meus dois orientadores e mentores pelo suporte e confiança, aos funcionários, colegas e amigos por toda ajuda e conhecimentos compartilhados”. 

Franklin afirma que os conhecimentos obtidos durante sua vida acadêmica, especialmente no decorrer do doutorado, lhe proporcionaram uma vasta experiência, que acredita ser um diferencial. “No momento, sou pós-doutorando no Fundo de Defesa da Citricultura (Fundecitrus), onde estou tendo a oportunidade de colocar em prática diversas habilidades e conhecimentos adquiridos durante minha formação”. Vale destacar que o Fundecitrus fica em Araraquara (SP), cidade em que Franklin reside e de onde fez a defesa da tese para uma banca examinadora de sete membros, todos conectados por videoconferência.

 

Divulgação Institucional

A tese com estudos sobre podridões da espiga e do colmo de milho foi defendida em videoconferência