Institucional

Todos os campus

UFV recebe físico do MIT para colaboração em projetos de Spintrônica e Nanomagnetismo

27/05/2019

O físico americano está no Brasil para participar de projetos de cooperação com a UFV

O Departamento de Física recebeu na sexta-feira, 24, a visita de um dos físicos mais importantes da atualidade. Ele está no Brasil para participar de um Congresso e veio à Viçosa para ministrar uma palestra e estabelecer projetos de cooperação com a UFV.

Jagadeesh Subbaiah Moodera é um físico americano de origem indiana e pesquisador sênior do Laboratório Francis Bitter Magnet,  do Massachusetts Institute of Technology  (MIT). Ele tem trabalhos em cooperação com o professor Clodoaldo Levartoski de Araujo, coordenador do Laboratório de Spintrônica e Nanomagnetismo da UFV. Segundo Clodoaldo, Moodera, em 1994, juntamente com a equipe de pesquisa do MIT liderada por P.M. Tedrow e R. Meservey, mostrou uma maneira prática de implementar a junção túnel magnética (MTJ) à temperatura ambiente, demonstrando uma relação de magnetorresistência de túnel (TMR) de 11,8%.

O tunelamento magnetorresistivo a baixa temperatura foi descoberto por Michel Julliere em 1975, mas demoraria mais de uma década para encontrar um sistema de temperatura ambiente. Além de seu grande interesse fundamental, o tunelamento magnetorresistivo à temperatura ambiente é a base para dispositivos práticos, incluindo MRAM e cabeças de leitura usadas em discos rígidos.

Ainda segundo o professor Clodoaldo, Moodera foi nomeado “Fellow” da American Physical Society em 2000 "por contribuições pioneiras e sustentadas para o entendimento do transporte polarizado por spin em sólidos". Antes de investigar o tunelamento ferromagnético, o físico trabalhou por muitos anos com polarização de spin em junções supercondutoras, juntamente com Bob Meservey e Paul Tedrow.  Moodera, Meservey, Tedrow e Miyazaki compartilharam o Prêmio de Matéria Condensada Oliver E. Buckley de 2009 "por um trabalho pioneiro no campo de tunelamento dependente de spin e pela aplicação desses fenômenos no campo da magnetoeletrônica."

O físico iniciou a colaboração com o Laboratório de Spintrônica e Nanomagnetismo da UFV, em 2014, com aprovação de um projeto bilateral CNPq/MIT. Desde então ja supervisionou estágios de doutorado de dois estudantes da UFV no MIT. Recentemente a renovação do projeto de colaboração foi aprovada, desta vez com patrocinio do MISTI-MIT para desenvolvimento conjunto de materiais quânticos, essenciais para o futuro desenvolvimento de tecnologias de informação quântica.

Fonte: Clodoaldo  de Araújo
Divulgação Institucional