Notícias

Parceria da UFV com museu sul-africano resulta em descrição de nova espécie de besouro

15/02/2018

.

Mais uma espécie de besouro foi descrita pela equipe do Laboratório de Sistemática e Biologia de Coleoptera (LabCol) da UFV. Desta vez, ela vem da África do Sul e foi estudada pelo doutorando do Programa de Pós-Graduação em Ecologia Igor de Souza Gonçalves, orientado pelo professor Cristiano Lopes Andrade, do Departamento de Biologia Animal.

O resultado da pesquisa está no artigo The Cis bilamellatus species-group (Coleoptera, Ciidae) in Southern Africa: Cis mooihoekite sp. n. and new distributional records publicado, em janeiro, no jornal African Invertebrates. O Cis mooihoekite foi descrito com base em espécimes coletados em duas localidades da província de Mpumalanga, na República da África do Sul, próximas a Suazilândia.

Segundo o professor Cristiano, o Cis mooihoekite é uma espécie de Ciidae, uma família de besouros que utiliza principalmente fungos poliporóides (orelhas-de-pau) como habitat e alimento. Ela pertence a um grupo chamado bilamellatus, que inclui espécies de áreas temperadas e subtropicais do Hemisfério Sul. De acordo com o professor, são conhecidos somente oito indivíduos de Cis mooihoekite: quatro coletados pela equipe do South African National Collection of Insects (SANC), em 2008, e quatro por pesquisadores canadenses, em 1985. Ele explica que o nome da espécie se refere ao mineral mooihoekite, descoberto, em 1972, na África do Sul, que tem um brilho semelhante à cor dorsal desse besouro.

Interação
Há quase 10 anos, o LabCol desenvolve trabalhos sobre a fauna africana de Ciidae. Em 2011, a equipe do laboratório foi convidada por pesquisadores do SANC para identificar os besouros ciídeos daquele museu. Para isso, o curador da coleção, Ph.D. Riaan Stals, enviou mais de quatro mil espécimes para o LabCol, que assumiu todo o trabalho taxonômico. Essa interação resultou na dissertação Ecologia e taxonomia de Ciidae (Coleoptera) da África do Sul, defendida por Igor Gonçalves, em 2017.

No trabalho, o principal objetivo foi avaliar o impacto da espécie invasora Ceracis tabellifer (Mellié, 1849) sobre a fauna nativa de besouros ciídeos da África do Sul. Mas para identificar as espécies com precisão seria necessário um intenso trabalho taxonômico. Até o momento, as pesquisas do Igor resultaram na descrição de sete espécies sul-africanas, em maio de 2017, (http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/ens.12265/abstract) e na do Cis mooihoekite, publicada em janeiro. Há ainda cerca de dez espécies novas, que deverão ser descritas este ano.

Os estudos que vêm sendo feitos com besouros da África do Sul pela equipe do LabCol poderão ajudar a entender a história e a distribuição geográfica de espécies novas do Sul do Brasil, que parecem pertencer ao grupo bilamellatus. Essas espécies podem ter uma relação evolutiva mais próxima com Cis mooihoekite e Cis pickeri, da África do Sul, e com outras do grupo que ocorrem na Austrália e Nova Caledônia, principalmente. Se essa hipótese se confirmar, vai corroborar a ideia, segundo o professor Cristiano, de que as espécies do grupo bilamellatus são adaptadas a áreas frias do Hemisfério Sul e podem ter tido sua origem nessa zona do planeta.

 

Adriana Passos
Divulgação Institucional

Notícias

Destaques


Eventos

Campus UFV - Viçosa

  • Ministério da Educação
  • Transparência Pública
  • Acesso à Informçãão
  • Agenda da Reitora
  • Campus Oficial